Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Quarta, 10 Outubro 2018 16:59

NOTA DE REPÚDIO DA SECRETARIA DE ESTADO DA MULHER E DOS DIREITOS HUMANOS Destaque

Texto de Ana Cristina Sampaio

MULHERES VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA EM ALAGOAS DURANTE AS ELEIÇÕES

 

A produtora cinematográfica Ismélia Tavares Balduce foi agredida nesta terça-feira, dia 09 de outubro, na avenida Fernandes Lima, em Maceió, por portar um broche com a hashtag #EleNão. O agressor se identificou como apoiador de um candidato à Presidência da República e como tal se achou no direito de agredir a cineasta com palavrões que ofendem a moral, a reputação, a auto-estima da mulher, conforme declarou em suas redes sociais, causando medo e pânico pelo risco também da agressão física. Já no domingo, dia 07, a funcionária da ARSAL – Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas, Julyana Rezende Ramos Paiva, ao se dirigir a pé para o local de votação, no bairro Cruz das Almas, foi abordada por dois homens e uma mulher que vinham num veículo e pararam para questioná-la sobre o voto. Ao anunciar quem seria seu candidato à Presidência da República, a moça levou socos no rosto e chutes, conforme declarou em entrevista para alguns sites de notícias de Alagoas.

Diante da gravidade desses fatos, a Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos (SEMUDH) e o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDIM) repudiam publicamente os atos de violência praticados nestas eleições contra a mulher, reconhecem que esses episódios reforçam a cultura da intolerância, da violência, da anti-democracia e representam antes de tudo um retrocesso na busca por cidadania, além de ser um atentado de violação aos direitos humanos, e não podem ficar como sendo uma ação naturalizada. O fato é reflexo dessa onda na sociedade que tenta institucionalizar a violência e o desrespeito às minorias e às conquistas sociais.

A SEMUDH e o CEDIM se solidarizam com Ismélia Tavares Balduce e Julyana Rezende Ramos Paiva e se colocam à disposição para que as vítimas tenham seus direitos garantidos e acesso ao atendimento jurídico e psicológico por meio do CEAM – Centro de Atendimento Especializado à Mulher Vítima de Violência, o qual funciona na Rua Augusto Cardoso, S/N – Jatiúca. Telefone: 82-33151740 – horário comercial.

Vale salientar a importância da realização das denúncias para os casos de agressão à mulher em Alagoas. Qualquer pessoa pode denunciar de forma anônima quaisquer situações de violência que tenham conhecimento por meio do Disque 180, com a garantia de total sigilo.  

Por fim, a Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos também se coloca à inteira disposição para acompanhamento dos casos podendo ser feito contato pelo telefone 33152160 – Superintendência da Mulher.

Maceió, 10 de outubro de 2018.

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos (SEMUDH).

Conselho Estadual da Defesa dos Direitos da Mulher (CEDIM).